Weby shortcut
Cabeçalho Caxim

Ágora - 2012

Atualizado em 18/01/15 00:04.

Gestão Ágora - 2012

Promover uma retrospectiva histórica não representa, tão somente, um simples resgate de fatos ocorridos no passado. Conhecer notáveis acontecimentos é uma forma de valorizá-los, atribuindo-lhes devida valoração, condizente com sua importância no processo de estruturação da realidade circundante.

É tendo em vista tais aspectos que se pode melhor conhecer o Caxim, Centro Acadêmico XI de Maio, reconhecendo a importância de sua atuação ao longo dos anos, como também percebendo a dimensionalidade dessa atuação em prol de um ensino superior de qualidade e da defesa dos diversos interesses dos estudantes da Faculdade de Direito da UFG.

O Centro Acadêmico da Faculdade de Direito de Goiás fora fundado em 1933, sendo o primeiro de Centro-Oeste e o quarto do Brasil. Entretanto, somente adquiriu o nome atual em homenagem ao Decreto Federal nº 809 de 11 de maio de 1936, que tornou o diploma expedido por nossa faculdade reconhecido em todo o território nacional. 

Em 1937, o Caxim e a Faculdade de Direito foram transferidos para a cidade de Goiânia, ocupando o famoso Casarão da Rua 20, onde hoje se encontra a Justiça Federal. 

Ao longo de mais de 70 anos, nosso Centro Acadêmico vem lutando de maneira incisiva e aguerrida, tornando-se referência por suas mobilizações e articulações, principalmente através dos jornais “O Acadêmico” e “O XI de Maio”, que se tornaram os principais instrumentos combativos na proliferação de idéias e opiniões. 
Exemplos de toda essa atuação são diversos, dentre os quais pode-se destacar a luta, em 1956, pela Casa do Estudante e pela fundação da Universidade Federal de Goiás, sendo esta criada em 1960. 

Em 1959, enfrenta a lei que protegia aqueles que advogavam sem ter o título profissional, os denominados “Rábulas”, participou da campanha para a transferência da Capital Federal para o interior do país, iniciada em 1952, chefiando junto ao Centro Acadêmico XI de Agosto, da Faculdade de Direito do Largo de São Francisco — hoje, da USP — a Semana Mudancista. Tal fato rendeu a estes Centros Acadêmicos uma homenagem por parte do presidente JK, que imortalizou seus nomes numa placa fincada na atual capital federal, congratulando-os pela atuação em prol da criação de Brasília.

Durante as décadas de 60 e 70, alunos e professores sofreram perseguições por parte da Ditadura Militar, ocorrendo restrições de direitos e a cassação legal das instituições de representação estudantil, substituindo os Centros Acadêmicos por Diretórios Setoriais, sendo estes subordinados e controlados pelo regime ditatorial de então.

Passado esse período, já em um contexto de reabertura política, tem-se, em 1979, a regulamentação das Entidades de Representação Estudantil, através da Lei 6.680/79. Retomando uma atuação política oficial, o Caxim reformula seu Estatuto em 1984, com a ajuda, inclusive, de alguns professores, conscientes da representatividade dessa Entidade. Já no ano de 2005, é aprovado o novo Estatuto, mais condizente com os atuais interesses.

Episódio também marcante foi no ano da Assembléia Nacional Constituinte, quando o Caxim, em conjunto com outros C.A.s, mandava delegações a Brasília, para no Congresso Nacional contribuir na construção da nova Constituição e de novos tempos.

Nas décadas de 90 e início do novo século, o Caxim continua a trabalhar na conquista de melhorias, atuando tanto na esfera dos interesses internos, dentro da própria Faculdade, como também junto a outros C.A.s, da UFG ou de outras instituições.

Seja através de uma luta reivindicatória ou de uma simples vinculação de idéias, o Centro Acadêmico é o principal meio de o estudante fazer valer o seu papel de agente histórico, sendo responsável por não se acomodar diante a uma realidade posta e por garantir as mudanças necessárias na busca pelo aumento da qualidade do ensino e por uma formação humana mais abrangente.

A importância do Caxim, tanto histórica quanto física, é algo a se desenvolver, que se constrói a cada dia. Não somente através de integrantes de uma gestão, mas através da participação de todos os estudantes da Faculdade. Façamos o hoje.



COORDENAÇÃO
Mateus Matias (2º ano A)
Márcio André (3º ano B)

SECRETARIA GERAL
Arrielle Gonçalves Vieira (3º ano B)

TESOURARIA
Mário Ribeiro (4º ano A)
Sara Marinho (2º ano B)

RELAÇÕES PÚBLICAS
André Luiz Ribeiro (2º ano B)

DEPARTAMENTO DE ASSUNTOS CULTURAIS
Ana Eugênia (3º ano B)

DEPARTAMENTO DE EDUCAÇÃO JURÍDICA
Victor Hugo (3º ano B)
Felipe Fogaça (5º ano B)
Rogério Rocha (5º ano B)

DEPARTAMENTO DE COMUNICAÇÃO
Jéssica Santillo (2º ano A)
Luma Simone (4º ano B)
Karine Moraes (3º ano B)

DEPARTAMENTO DE PATRIMÔNIO
Fernando Lucas (4º ano B)
Beatriz Bonach (3º ano A)

DEPARTAMENTO DE ESPORTES
João Paulo (2º ano B)

DEPARTAMENTO DE EVENTOS
Ary Neto (2º ano A)
Tainara Borges (3º ano B)

 

Listar Todas Voltar